download

Relação entre medicamento e alimentos

Relação entre medicamento e alimentos

 

O uso de medicamentos na sua forma sólida e administrados via oral, é o modo mais comum no tratamento da grande maioria das doenças. Como a maior parte dos medicamentos pode provocar desconforto gastrointestinal, a recomendação geralmente é que se faça sua ingestão em jejum, antes, durante ou após as refeições. No entanto, é importante saber quais são as interações medicamentos x alimento para que a administração do medicamento seja correta e tenha uma melhor absorção.

Usar alimentos para misturar comprimidos esmagados ou para mascarar o gosto que possam ter pode afetar a ação do medicamento. Os medicamentos quando administrados via oral podem ser afetados pelo alimento ao longo de seu percurso no trato gastrointestinal, devido ao pH do estômago ou do intestino delgado também pela peristalse de ambos os órgãos.


Alimentos e refeições contendo muita gordura e com pouca fibra, retardam o esvaziamento do estômago por mais de duas horas. A ação de um fármaco ministrado antes ou após este tipo de refeição tem sua ação retardada também. Dietas ricas em proteínas aumentam o fluxo sanguíneo aumentando a absorção de alguns medicamentos. Já as refeições ricas em carboidratos causam uma leve e passageira redução do fluxo sanguíneo para o trato gastrointestinal, o que tende a diminuir a absorção de medicamentos.


O álcool, as bebidas quentes e os antiácidos não devem ser ingeridos com cápsulas ou drágeas de revestimento resistente, pois estas substâncias podem causar a destruição prematura destes envoltórios, expondo os fármacos ao pH a que são sensíveis. Pastilhas, drágeas ou cápsulas de revestimento entérico não devem ser administradas junto com refeições alcalinas ou junto com antiácidos.

Muitos antibióticos são mais eficazes se administrados com estômago vazio. A teraciclina, por exemplo, não deve ser misturada com leite ou derivados, pois sua atividade é inativada ao combinar-se com o cálcio destes produtos. Sabe-se também que alguns fármacos esgotam as reservas orgânicas de nutrientes essenciais como vitaminas e aminoácidos ou interferem na absorção dos mesmos.

O grupo dos idosos são mais vulneráveis à interação de risco entre medicamentos e alimentos, devido à rotina de medicação simultânea e o tempo demandado para isso, além do metabolismo mais lento, podem sofrer tanto de reações adversas como comprometer o tratamento. Os fumantes, também pertencentes ao grupo de risco, devem ficar atentos e esperar uma hora para fumar após ter se medicado, isso por que alguns analgésicos têm sua eficácia diminuída pela presença do tabaco e pode diminuir a absorção da insulina. 

 

 

Érica de Oliveira Kirchhoff
CRN 8ª 8377
Pós-graduada em Nutrição Clínica
e Nutrição Aplicada à Estética

1 Comentário
  • Deivide Brito 25 de setembro de 2015

    Excelente artigo!
    Muito bom para entender essa diferença que sempre me deixa em dúvidas.

    Responder Replies

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Você pode usar esteas tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>